segunda-feira, 30 de setembro de 2019

Ex-deputado federal Wladimir Costa, o Wlad anuncia denuncia bombástica contra uma autoridade de Santarém

Garota de 15 anos foi estuprada por uma pessoa muito conhecida em Santarém. Quem será? questiona Wlad?
O ex-deputado federal Wladirmir Costa, o Wlad anunciou nas redes sociais, principalmente nos grupos de WhatsApp que a radio Princesa FM, de sua propriedade vai desmascarar um pedófilo e estuprador que usou uma menina de 15 anos para fazer sexo.
Na denuncia em áudio gravado por voz de um locutor, diz que Santarém vai pára, nesta sexta-feira, no programa do Patrulhão 93 que vai ao ar todos os dias, de segunda a sexta-feira.
Veja o que diz o áudio: "Entrevista bombástica,  a sua radio vai tremer, uma autoridade bastante conhecida, aquilo que costumamos a chamar de peixe grande, será alvo de uma gravíssima denuncia aqui na nossa emissora". 
Em seguida o locutor pede Atenção justiça de Santarém: MP, PM, PF, PC, COMISSÃO DOS DIREITOS HUMANOS DA CAMARÁ E  ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO PARÁ, E DO CONGRESSO NACIONAL E OAB. 
Ouça na integra o áudio enviado para o pv da redação do Blog do Xarope.

Justiça federal condena prefeito de Itaituba por destruição de 746 hectares de floresta nativa

Resultado de imagem para prefeito valmir climacoValmir Clímaco (MDB) ficará inelegível por oito anos

A Justiça Federal condenou o prefeito do município de Itaituba, Valmir Clímaco de Aguiar (MDB) por crime ambiental e usupação de área da União. 
O prefeito foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) pela destruição de 746 hectares de floresta nativa no interior da Fazenda Serra Azul, localizada no município de Altamira.
O juiz da 1ª Vara Federal de Santarém, Domingos Daniel Moutinho, fixou uma pena de quatro anos e nove meses de prisão em regime semiaberto. No entanto, como o réu respondeu ao processo em liberdade, o magistrado decidiu que ele deverá cumprir a pena também em liberdade. 
"O auto de infração nº. 200594-D comprova que houve destruição de 746 hectares de floresta nativa no interior da Fazenda Serra Azul, com exploração de matéria-prima – madeira – pela Madeireira Climaco", profere o juiz na sentença de condenação.

Governo do Pará arrecadou quase R$ 20 bi e usou mais de R$ 9 bi com folha

Resultado de imagem para helder barbalhoGastos do Estado estão dentro da normalidade; anormais estão os índices de empobrecimento da população, os quais, segundo o Ministério da Cidadania, “sequestram” 35% dos paraenses.
No período de um ano, entre setembro de 2018 e agosto de 2019, o Governo do Estado do Pará arrecadou R$ 19,736 bilhões em receita corrente líquida e, desse total, usou R$ 9,16 bilhões para pagamento de pessoal, comprometendo 46,42% da arrecadação.

Após intenso debate, autorização para empréstimo de 123 milhões é aprovado pela Câmara de Vereadores de Santarém

Sessão na Câmara Municipal de Santarém — Foto: Reprodução/Redes SociaisEm Sessão Ordinária que aconteceu na tarde desta segunda-feira(30/09), por 15 votos a favor e 5 contra, a Câmara de Vereadores de Santarém, aprovou autorização para que a Prefeitura de Santarém realize empréstimo no valor de R$ 123 milhões junto a Caixa Econômica Federal.
O projeto previa um investimento de R$ 40 milhões em iluminação pública e R$ 83 milhões em obras diversas de infraestrutura, incluindo drenagem e pavimentação asfáltica.

Eleições 2020: Vereador do MDB é o principal opositor ao governo do prefeito Macedo em Belterra

Vereador emedebista Junior Rocha é nesse momento o principal político do prefeito doutor Macedo
A população reconhece Junior Rocha como o candidato mais forte para disputar as eleição de 2020, contra o prefeito Doutor Macedo do democratas candidato a releição. Ele aparece com 60,7% dos entrevistados, seguido por Arielton com 13,4%.
A Destak fez a pesquisa com 480 entrevistas na Sede do Município e na Zona Rural do município de Belterra, para constatar o que se passa na cabeça do eleitorado à cerca de 1 ano das eleições municipais de 2016. 
A pouco mais de um ano das eleições municipais de 2020, o clima da sucessão em Belterra começa a Fervilhar. 
Partidos começam a se articular e a testar suas lideranças em pesquisas de opinião para identificar o peso eleitoral desses nomes. A DESTAK Pesquisa realizou um levantamento no período de 26 a 27 de Setembro de /2019 com 480 entrevistas em todos os bairros e comunidades do interior de Belterra. 
ESPONTÂNEA: 
Doutor Macedo aparece com 35.3% das intenção dos votos, seguido de Junior Rocha 12,9%
Na questão espontânea em que não se apresenta nenhum nome ao entrevistado, o prefeito Josiclélio Macedo do Democratas aparece em primeiro lugar com 35,3% das intenções de voto; em segundo lugar vem o vereador do MDB Junior Rocha, obtendo 12,9%. A terceira posição é ocupada por Arielton que obteve ainda 5,2% das intenções de voto. O ex-prefeito Geraldo Pastana aparece com 4, %. Ulisses Medeiros e Milton Almada vem logo em seguida, ambos com 2,6%,. 
Já 37,1% disseram não saber para quem votar. 
ESTIMULADA: Quanto à estimulada, a pesquisa testou quatro cenários. 
CENÁRIO 1
No primeiro cenário, seis nomes são testados: o prefeito Macedo aparece com 42,0%; em segundo lugar vem o vereador do MDB Junior Rocha, 22,6%; em terceiro, Arielton, 8,8%; em quarto lugar, Milton Almada, 7,1%; em quinto vem o nome de Ulisses Medeiros, 5,4%. Prof. Darviley aparece com 2,7%. 
CENÁRIO 2
No segundo cenário são testados apenas cinco nomes, retirando Braga do Povo que não tinha pontuado e Ulisses Medeiros. A ausência desses nomes não altera muito a posição e os percentuais dos demais pré-candidatos. Doutor Macedo 42,9% ; em segundo Junior Rocha com 24,2%, Arielton 8,9%, Milton Almada 8,0% e professor Darviley 4,5% das intenções de votos. Não Sabe/ sem resposta 9,6%, e nulo/branco 1,7%.
SIMULAÇÃO ENTRE DOUTOR MACEDO X JUNIOR ROCHA 
A Destak fez simulação entre os dois principais candidatos nas eleições de 2020
No terceiro cenário, a pesquisa testou apenas dois nomes: Doutor Macedo aparece com 49,01%; e o vereador do MDB Junior Rocha fica com 33,4%. 
Não sabe/ Sem resposta 9,6%. Branco e/ nulo 7,9%. 
REJEIÇÃO DOS CANDIDATOS:
Destak aponta Braga dos Povos com maior índice de rejeição entre os pré-candidatos estimulados
Em se tratando de rejeição dos pré-candidatos, Braga dos Povos aparece como o mais rejeitada, 23,2% seguido por Doutor Macedo, 14,3% e professor Darviley com, 11,6%. Milton tem 8,9% de rejeição; Ulisses Medeiros aparece com 6,3% e Arielton com 3,6%. O vereador Junior Rocha aparece com apenas 1,8% de rejeição. 
PRINCIPAL ADVERSÁRIO:
Outros cenários foram pesquisados entre eles o principal adversário politico do prefeito Doutor Macedo. O vereador Junior Rocha apareceu com 60,7% dos entrevistados, segundo arielton com 13,4%, Ulisses 8,0%, Milton almada 6,3%, professor Darviley com 1,8%, e Braga dos Povos com 0,9% das intenções de votos. Outro 6,9%. 
APROVAÇÃO DO GOVERNO:
Governo do atual prefeito recebeu aprovação de 61%, contra 27% de desaprovação
61% da população aprova a forma como o prefeito Doutor Macedo vem administrando o município, 27% desaprovam, e disseram não saber/sem resposta 12%. 
A população apontou a ex-prefeita Dilma Serão como a pior prefeita que já administrou o município, foram 75% dos entrevistados. 
AVALIAÇÃO DO GOVERNO: Qual a avaliação que você faz da administração do prefeito DR. MACEDO?
Destak aponta que a população fez boa avaliação do prefeito Macedo
12% da população afirmaram que está excelente; 38% Boa, 25% regular positivo, 4% regular negative, 14% disseram que o governo está ruím, e apenas 4% afirmaram está péssimo. 3% disseram não saber. 
INTENÇÃO DE VOTOS PARA VEREADOR: 
Em quem você votaria para vereador do seu município, se a eleição fosse hoje? (Espontânea). 
Na questão espontânea em que não se apresenta nenhum nome ao entrevistado, os 5 mais votados foram, o vereador Junior Rocha do MDB aparece em primeiro lugar com 8,%; Jonas Palheta 4,3%, Jurandir 3,4%, Ulisses 2,6% e Vado 1,7%.
O vereador Junior Rocha é o que teve maior índice de intenção de votos para vereador, com 8,6%

Cogitado a ir para a Copa São Paulo de Futebol Jr., volante de 19 anos é encontrado morto em Almeirim

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em péChico Almeirim disputava a Copa Oeste e o Campeonato Santareno Sub-20
Um volante de 19 anos foi encontrado morto em Almeirim, no oeste do Pará, na noite de sábado (28). De acordo com a Liga Esportiva de Santarém (LES) o jovem disputava a Copa Oeste, pela seleção de Almeirim e o Campeonato Santareno Sub-20 pela equipe do Flamengo.
Chico Almeirim, como era conhecido, foi encontrado morto por familiares. O jogador estava cogitado para disputa da Copa São Paulo de Futebol Jr.

domingo, 29 de setembro de 2019

Após seis meses da morte de Jonatas, mãe pede justiça e convida população para participar de caminhada em Rurópolis

. Veja o vídeo.
Dona Raimunda, mãe de Jonatas Brandão de 15 anos, assassinado no dia 30 de março, gravou um vídeo e enviou ao Blog do Xarope. Ela clama por justiça e pede a presença da população num movimento que será feito nesta segunda-feira, 30 de setembro. 

Rurópolis, é um município que fica no entrocamento das rodovias Transamazônica e Santarém-Cuiabá, cerca de 217 quilômetros de Santarém, considerado um município violento pelas ultimas estatísticas apresentadas, dominada por facções criminosas, que tem resultado num numeroso índice de criminalidade.
Nos anos 80 serviu até mesmo para braço de apoio de crimes organizados, inúmeros casos de assassinato que até hoje ficaram na história. Um deles a morte de Almerindo Pedroso, que ficou conhecido na região.
Nos últimos anos, o município virou um canteiro de acontecimentos, crimes na maioria com requintes de crueldade. Mas, o que espanta é o alto índice de crimes que ficaram na impunidade, de 10, apenas 1 o autor do crime foi preso, e entre eles estão o da sindicalista Leila Ximenes, do jovem Jelsivan Ferro Sousa, espancado pela policia e de Jonatas Brandão de apenas 15 anos.

Caso Jonatas: .
O Filho de dona Raimunda Brandão  foi morto por Junior Araújo que está foragido, com vários golpes de faca na noite de uma sexta-feira (30), de março. O crime aconteceu em uma borracharia localizada nas dependências de um posto de combustível na cidade de Rurópolis.
As investigações da morte de Jonatas tiveram motivação passional. Jonatas tinha um relacionamento amoroso mal resolvido com uma jovem.
A família também acusa um dos cúmplices do assassino, conhecido por Maycon, vulgo “Mucura”, ex-marido da menina que no caso foi o pivô da confusão e da morte de Jonatas.
Caso Jelsivan Ferro Sousa:

Resultado de imagem para Caso Jelsivan Ferro Sousa morto em rurópolisOs principais acusados sãos os policias Cabo da PM conhecido por Vander e o Investigador da Policia Civil conhecido por Francione. 
No boletim de ocorrência, conseguido com exclusividade pela redação do Blog do Xarope, os dois policias teria ido numa Hellux de Cor Branca, que segundo informações seria do grupo de inteligência da PM. 
A relatora Ana Flavia Poubel Dias que se apresenta como companheira da vítima, disse a autoridade policial que por volta das 16:41 minutos do dia 01/de Março se encontra com a vítima e mais as senhoras Geovanny e Mikaelli em frente de sua residência, quando Jelsivan teria dito: “Amor, tem uma Hillux branca me seguindo. Eles vão me pegar”. 
E que pouco depois a Hillux parrou em frente da sua residência, e desceu o investigador da Policial Civil Francione indo de encontro ao Jelsivan e perguntou; Você que é o carrapeta? Sendo que o seu companheiro respondeu positivamente. E Dentro da Hillux se encontrava o Cabo Vander da Polícia Militar. Foi então que o investigador perguntou a Jelsivan sobre uma roçadeira. Após a pergunta Jelsivan e os dois entraram no carro e saíram. Jelsivan ainda retornou a sua residencia, mas todo machucado, foi levado ao Hospital da cidade, não resistiu ao ferimento e morreu. 
Caso Leila Ximenes:
Leila e MarielleLeila Cleópatra Ximenes foi encontrada morta.
O crime ocorreu após o término de uma reunião política, quando a sindicalista se dirigia à a sua residência no bairro do Leitoso.

Segundo informações do comandante do da 17ª CIPM da cidade Major Alexandro, a moça foi encontrada morta em uma ladeira, com perfurações de arma branca no tórax e braço. 

Três pessoas foram acusados pelo MP como mandantes e executores do crime, o vereador do PT Jonas Jonas Lourenço da Silva, o secretário de Infraestrutura do município de Rurópolis conhecido por Marciano Lira e Geoberto Neves dos Santos como principal executor do crime.   

Remo e Paysandu iniciam briga para chegar à decisão da Copa Verde

Remo e Paysandu iniciam briga para chegar à decisão da Copa Verde - Crédito: Roma NewsLeão e Papão buscam a redenção na temporada após eliminação na Terceirona
Nunca Remo e Paysandu estiveram em uma situação tão semelhante na temporada 2019. Eliminados na reta final da Série C do Campeonato Brasileiro, Leão e Papão veem na Copa Verde uma possibilidade de fechar o ano com honra. Neste domingo, às 16h, no Estádio Olímpico do Pará, os titãs do futebol paraoara entram em campo para a primeira metade de uma semifinal de 180 minutos.
Na análise sobre pontos de equilíbrio do duelo, segundo a crítica especializada, o Paysandu pode levar vantagem no quesito comando técnico – isso porque Hélio dos Anjos está à frente do Bicola há mais tempo que Eudes Pedro, técnico azulino contratado após a eliminação remista ainda na fase de classificação da Terceirona.
No aspecto motivação, o Leão pode se sentir confiante, já que chegou ao confronto decisivo com o Papão após uma classificação tranquila diante do Atlético Acreano (com uma derrota por 2 a 1 no jogo de ida e uma goleada por 6 a 1 aplicada no duelo de volta). Vale lembrar que o Fenômeno Azul já comemorou um título nessa temporada: o do Campeonato Paraense.
Para chegar à semifinal da Copa Verde, o Paysandu teve de suar - e muito -, a camisa. Em dois disputados confrontos contra o Bragantino-PA, o time alviazul só conseguiu avançar na disputa de penalidades máximas (6 a 5 para os bicolores). Em Belém e Bragança (onde rolou o confronto decisivo) os duelos terminaram empatados em 1 a 1 no tempo normal.
Pelo lado do Leão, Eudes Pedro deve ter em campo um time muito parecido com aquele que disputou o jogo de volta das quartas de final da competição. A provável escalação remista deve ter em campo Vinícius; Ronael, Fredson, Marcão e Cesinha; Yuri, Ramires, Wesley e Eduardo Ramos; Gustavo Ramos e Neto Baiano.
Já o Bicola, treinou forte durante a semana e não deve ter muitas mudanças com relação ao time que derrubou o Bragantino pelas quartas da competição. O provável time titular do Paysandu deve ter: Giovanni; Tony, Victor Oliveira (Diego Matos), Perema e Bruno Collaço; Willyam (Thiago Primão), Uchôa, Vinícius Leite e Wesley Pacheco; Elielton e Nicolas.
Quem avançar à decisão da Copa Verde (competição conquistada duas vezes pelo Papão), enfrenta Goiás ou Cuiabá na grande decisão. Além de uma excelente premiação em dinheiro (girando em torno de R$ 2,5 milhões), o campeão do torneio entra na fase de oitavas de final da Copa do Brasil do ano que vem.

RF apreende 850 mil euros com passageiro que saiu de Belém em aeroporto do Rio de Janeiro Homem não teve a identidade divulgada e declarou ser apenas o portador do montante apreendido

RF apreende 850 mil euros com passageiro que saiu de Belém em aeroporto do Rio de Janeiro - Crédito: Divulgação / RF

A Receita Federal apreendeu no sábado, 28, cerca de 850 mil euros no Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro. As cédulas estavam em uma caixa, despachada como bagagem, de um passageiro que chegava em voo vindo de Belém.
O passageiro, que não teve o nome divulgado, foi abordado pela equipe do Serviço de Vigilância Aduaneira (Sevig), da Alfândega, de plantão no aeroporto. Aos fiscais, ele declarou não possuir a comprovação da origem do dinheiro e de ser apenas o portador do montante apreendido.
De acordo com a cotação da moeda na sexta-feira, o valor equivale a pouco mais de R$ 3,8 milhões.
Após o fato ser lavrado na Receita Federal, o passageiro foi conduzido para prestar esclarecimentos à Polícia Federal.

Festival da Canção da Transamazônica chega à 5ª edição

Festival da Canção da Transamazônica chega à 5ª ediçãoO V Festival Canção da Transamazônica (V Fecant) põe o pé na estrada e, pelo segundo ano consecutivo, abre o edital para inscrições gratuitas em todo o Brasil a partir da próxima terça-feira, 1º de outubro, pelo site fecant.com.br. A competição acontece entre os dias 14 e 16 de novembro, em Altamira, na Região do Xingu, com 24 canções inéditas concorrendo a troféus e premiações em dinheiro. 
O Fecant é uma das maiores competições de artistas independentes da música no Pará, que promove o intercâmbio cultural, oficinas, revelação de talentos e shows gratuitos à população altamirense, além de impulsionar o comércio e o turismo local. O show de encerramento será realizado por Fafá de Belém.

Prisão preventiva de sócia-proprietária da empresa que organizou concurso da Câmara é revogada

Operação Perfuga em Santarém no Pará — Foto: Arte/G1
A prisão foi revogada pelo juiz Rômulo Nogueira de Brito, mas, Maria de Nasaré terá de cumprir cautelares.
A sócia-proprietária da empresa Inaz do Pará, que organizou o concurso da Câmara Municipal de Santarém, no oeste do Pará, Maria de Nasaré Martins da Silva, pode deixar o Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura, a qualquer momento, uma vez que sua prisão preventiva foi revogada pelo juiz Rômulo Nogueira de Brito, que está respondendo pela 1ª Vara Criminal de Santarém.

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Faltando 96 horas para fim da prestação de contas, prefeituras do Pará estouram gastos

A esmagadora maioria das prefeituras paraenses que até o momento entregaram as contas consolidadas de gestão fiscal referentes ao 2º quadrimestre deste ano estourou o teto de gastos com o funcionalismo público municipal. O Blog do Zé Dudu checou que até as 15h30 desta quinta-feira (26) apenas 15 das 144 administrações municipais paraenses haviam remetido o Relatório de Gestão Fiscal (RGF) à Secretaria do Tesouro Nacional (STN), informando, entre outras despesas, gastos com pessoal no período de 12 meses encerrados em agosto passado.

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

Mulher é executa em frente de sua casa com vários tiros em Santarém

. Assista o vídeo logo após a execucão.
O fato aconteceu no plantão do delegado Herbert Farias, na noite de terça-feira (24) no bairro Uruará, em Santarém. 
Uma mulher morreu na noite de terça-feira (24) após levar quatro tiros na rua Tauari, no bairro Uruará, em Santarém, no oeste do Pará. De acordo com a Polícia, Jailene Rodrigues Costa, a branca de 33 anos, se encontrava com uma criança no colo em frente à sua residência na hora que foi executada por dois elementos que desceram numa moto e anunciaram o assalto. 
O crime aconteceu por volta das 20h, quando o caso foi comunicado à Polícia.

Estudante da Unama é preso acusado de assaltar residência no Loteamento Planalto

Após investigações do delegado Silvio Birro, a polícia conseguiu colocar a mão numa quadrilha que vinha agindo em Santarém. 
Foi preso o meliante, estudante de direito da Unama, Marcos Arnoldo Nascimento do Carmo que adentrou em uma das casas do loteamento Planalto para roubar, mas não teve um final feliz. Marcos foi flagrado subtraindo objetos dentro da residência. 
Foi logo flagrado pelas câmeras, perseguido pelos moradores e levado pela Polícia. Com ele também foi preso outro comparsa, conhecido por Jardel Cabral preso com várias munições, mas como não foi preso em flagrante, foi preso e liberado, após pagar fiança. Ele também, segundo informações dava cobertura com o carro aos assaltos. 
Um terceiro integrante está preso, mas por conta das investigações está com o nome sobre sigilo. 
A quadrilha continua sobre investigação.
Informação da policia:
A equipe NAI/BMA - Santarém, juntamente com a Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal, na noite de ontem, participou da localização e prisão do nacional MARCOS ARNOLDO NASCIMENTO DO CARMO(Foto), após esse e mais dois indivíduos até então não identificados, terem realizados furtos com arrombamentos e duas residências, localizadas na Vila Planalto.
Após essa prisão, as diligências perduraram por toda noite, pois como já vinham ocorrendo vários furtos qualificados, com o mesmo "modus operandi", naquela região, inclusive umas das vítimas, foi uma policial civil, lotada no NAI/BMA, ocasião em que esta teve substraído de sua residência, vários eletro-eletrônicos, jóias, dentre outros pertences, fato ocorrido  no mês de Julho do corrente.
Já no início da tarde de hoje, após exaustivas diligências, conseguimos localizar e prender em flagrante, mais um integrante da quadrilha, o nacional JARDEL CABRAL CARDOSO, ocasião em que foi flagrado com 147 munições de calibres diversos, além de vários relógios objetos de furtos. Prosseguindo nas diligências, conseguimos recuperar os objetos subtraídos da Investigadora deste NAI, além de televisores, relógios e jóias de várias outras vítimas, contribuindo para o esclarecimento de várias ocorrências de furtos naquela localidade.

Ananindeua: Se a eleição fosse hoje, Dr. Daniel (MDB) seria eleito no 1° turno




A pesquisa foi realizada entre os dias 14 a 18/09/2019 com uma amostra de 600
entrevistas, tendo uma margem de erro de 3,5%.
Espontânea: Na pergunta espontânea, em que não se apresenta os nomes dos pré-candidatos, Dr. Daniel aparece na frente com 16,2% das intenções de voto. O segundo e terceiro colocados são nomes que não disputam o pleito (Pioneiro e Helder), em seguida aparece o deptuado estadual, Eliel Faustino com apenas 1,2%. Jeferson Lima e Miro Sanova, ambos aparecem com 0,9%; Chicão, 0,7%; Pastora Ray, 0,3%. Os eleitores indecisos representam 64,1%, enquanto 10,9% tem intenção de anular ou votar em branco.
Estimulada: Quando se estimula, Dr. Daniel vai para 49,8%. O deptuado Miro Sanova
fica em segundo lugar com 5,0%, seguido pelo deputado Chicão, 3,3%. Eliel Faustino fica com 2,9%; Carlito Begot aparece com 2,7%; Beto Andrade com 1,4%; Capitão Marcony e Alexandre Gomes aparecem com 0,9% cada. Branco/Nulo somam 10,9; e
indecisos, 22,3%. Capitão Marcony tem 3,1%; Eliel Faustino, 2,9% e Alexandre Gomes, 2,7%. E 43,6% não.

Rejeição: Em se tratando de rejeição, o deputado Chicão e Carlito Bergot são os mais rejeitados, 14,9% e 14,0%, respectivamente. Depois vem Miro Sanova com 4,8% de rejeição. Dr. Daniel e Beto Andrade possuem, ambos, 3,4% de rejeição em Ananindeua.

Avaliação Governo Municipal: O governo do prefeito Pioneiro é reprovado por 49,6%
dos eleitores (Ruim/péssimo); enquanto que sua aprovação é de apenas 9,9%
(excelente/bom). A avaliação Regular soma 36,7%.

Avaliação Governo Helder Barbalho: Em se tratando de avaliação do Governo Helder
Barbalho, a sua aprovação é de 39,1% (excelente/bom); enquanto sua reprovação é de 12,1%. A avaliação Regular soma 41,1%. Ainda aparecem 7,7% que não quiseram avaliar o governo de Helder.

Avaliação do Governo Bolsonaro: A avaliação do Governo de Jair Bolsonaro está sendo reprovado por 52,2% dos eleitores de Ananindeua. Apenas 18,2% aprovam seu governo. A avaliação Regular soma 23,9%.

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Operação resgata 18 pessoas em situação análoga à escravidão no município de Uruará.

Os trabalhadores viviam sem água potável e água limpa para higiene e preparo de alimentos; sem segurança; ficavam próximo a substâncias inflamáveis, dentre outros problemas.
Uma operação flagrou 18 trabalhadores em situação análoga à escravidão, em duas fazendas no município de Uruará, sudoeste do Pará. 
Os trabalhadores viviam sem água potável e água limpa para higiene e preparo de alimentos; sem segurança; ficavam próximo a substâncias inflamáveis, dentre outros problemas. A operação foi realizada entre os dias 10 e 19 de setembro.
A operação foi realizada pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM) do Ministério da Economia, com apoio da Defensoria Pública da União (DPU) e Polícia Federal.
O auditor-fiscal do trabalho André Dourado, coordenador da operação, informou que em uma das fazendas estavam oito trabalhadores, sendo que sete estavam alojados em barracos de lona, onde realizavam atividade de derrubada de mata nativa para formação de pastagem. Já o oitavo estava em um depósito de produtos como ração para animais, sal, motosserras, bombas de aplicação de agrotóxicos, entre outros.
Já na segunda fazenda estavam dez trabalhadores em atividades de roço de pasto, aplicação de herbicidas e manejo de gado. Cinco estavam alojados em sistema de moradia coletiva de famílias e os demais divididos em dois barracos de lona, em regiões de difícil acesso no interior da fazenda.
Segundo a auditoria-fiscal, o empregador reconheceu os vínculos de emprego e pagou as verbas rescisórias, além disso firmou TAC com obrigações, sob pena de multa em caso de descumprimento.
Acordos
Após o flagrante, os auditores emitiram guias de Seguro Desemprego Especial para os 18 trabalhadores resgatados, garantindo o recebimento de três parcelas no valor de um salário mínimo cada. Eles foram encaminhados para órgãos assistenciais de acolhimento.
Os dois empregadores entraram em acordo para pagar as verbas trabalhistas devidas e rescisórias e indenizações por danos morais. As irregularidades trabalhistas e de saúde e segurança constatadas nos estabelecimentos rurais resultaram na lavratura de 93 autos de infração.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Marcos Antônio (PSDB) seria eleito prefeito de Mojui dos Campos, se a eleição fosse hoje, garante pesquisa Destak


Tucano, Marco Antônio seria eleito prefeito de Mojuí dos Campos se a eleição fosse hoje
Marco Antônio, Juvenal Arruda e Everaldo Camilo, os três fazem parte da base do prefeito Jailson

O vereador aparece em 1º lugar, como na pesquisa espontânea, quanto na estimulada

Segundo mais votado para Câmara de Vereadores de Mojuí dos Campos em 2016, o tucano Marco Antônio seria eleito prefeito do caçula dos municípios do Pará se a eleição fosse hoje.
É o que revela a pesquisa de intenção de votos Blog do Jeso/Destak realizada nas zonas rural e urbana de Mojuí, semana passada. 400 pessoas foram entrevistadas. A margem de erro é de 3,5%, para mais ou para menos. O nível de confiança do levantamento é de 95%.
Marco Antônio aparece em 1º lugar tanto na pesquisa espontânea como na estimulada. Em todos os cenários simulados pelo levantamento, o vereador de 40 anos aparece na dianteira.
Veja o quadro geral.
https://2.bp.blogspot.com/-7AT-7VBlw_Q/XYkkIV30bkI/AAAAAAAAe3w/jAXqtFOZjcMjUiR9mxAFtWzBI3rzfzQXgCLcBGAsYHQ/s1600/espontanea.JPG
Na espontânea, quando o nome dos candidatos nãosão apresentados aos entrevistados, Marco Antônio aparece com quase 11 pontos percentuais à frente do 2º colocado: 20,2% contra 9,3% de Juvenal (DEM), atual vice-prefeito de Mojuí.
Em 3º, aparece o atual prefeito (6,2%), que, reeleito em 2016, está impedido de disputar o cargo no próximo ano. Em 4º, está o vereador Everaldo Camilo (5,5%), do MDB.
Confira a configuração geral da espontânea.
Estimulada cenário 1
https://3.bp.blogspot.com/-3007PaB8hso/XYknXiWO6KI/AAAAAAAAe38/PuMnlIMO9PQBW6AO8LsRiXyI0quUvaQ8QCLcBGAsYHQ/s1600/estimulada%2B1.JPG
Na pesquisa estimulada, em um cenário em que aparece o nome de 8 potenciais candidatos a prefeito, Marco Antônio lidera com quase 30%, seguido de Juvenal (19,8%) e Everaldo (10,8%).
Os vereadores Izailton (9%) e Emerson Silveira (8,1%) ocupam a 4ª e 5ª posição, respectivamente. Os ex-deputados Chapadinha (Podemos) e Antônio Rocha (MDB), hoje vereador em Santarém, não pontuaram bem neste levantamento.
Estimulada Cenário 2


Ainda na pesquisa estimulada, mas num cenário só com 6 candidatos — sem Antônio Rocha e Chapadinha –, Marco Antônio tem 29,7% das intenções de voto. Juvenal (22,5%) e Everaldo (10,8%) aparecem em seguida.
Em quarto lugar, estão empatados Izailton, Emerson Silveira e Raimundo Dadá, todos com 9%.
Estimulada Cenário 3
Ainda na pesquisa estimulada, mas num cenário só com com apenas 4 candidatos — sem Antônio Rocha, Chapadinha, Emerson Silveira e Everaldo Camilo–, Marco Antônio vai a 33% das intenções de voto. Juvenal (24,1%),Raimundo Dadá  (13, 4%) aparece em terceiro e em quarto lugar, aparece o veredor Izailton, com 10,7% dos votos.
Rejeição
A pesquisa também mensurou a rejeição dos candidatos. O mais rejeitado, entre os nomes listados para os entrevistados, é o do ex-deputado federal Chapadinha, com quase 20%, seguido por Raimundo Dadá (16%).
O nome com menor rejeição é do emedebista Everaldo Camilo (1,8%). Confira o quadro geral da rejeição.

Um dos acusados de ser mandante da morte da sindicalista Leila Ximendes diz ao Blog do Xarope que é inocente.

Marciano Lira de Almeida foi denunciado pela promotoria de justiça de Rurópolis, por meio da promotora de justiça Mariana Sousa Cavaleiro de Macêdo Dantas. 
Na denúncia apresentada, ele é apontado como um dos mandantes da morte da sindicalista e militante do Partido dos Trabalhadores (PT), LEILA CLEOPATRA XIMENDES DE SOUSA, ocorrido em outubro de 2016. Leila também era secretária do STTR (Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais).
Morte da Leila continua um mistério
Com o recebimento da denúncia os três investigados passaram a ser réus do processo. 
Os outros acusados sãos o vereador Jonas Lourenço da Silva como mandante e Geoberto Neves dos Santos como principal executor do crime. 
Leila Cleópatra Ximendes de Sousa foi assassinada a facadas no dia 1º de outubro de 2016, por volta das 20h30, ladeira do bairro do Leitoso, em Rurópolis. 
A vítima teve uma parada cardiorrespiratória em decorrência de uma hemorragia provocada pelos ferimentos. 
De acordo com o Ministério Público, os réus foram denunciados por homicídio qualificado. O acusado de executar a sindicalista teve incluso um qualificador na denúncia, pois teria cometido o crime mediante a pagamento de uma recompensa. 
Se forem a júri popular, a pena dos envolvidos pode variar entre 12 a 30 anos de prisão. 
Em entrevista ao jornalista Iromar Cardoso, editor do Blog do Xarope e do Portal XP Online Marciano diz ser inocente, e que tem sofrido as consequências das denuncias impostas contra ele. Veja a entrevista na integra...
Marciano Lira de Almeida foi denunciado pela promotoria de justiça de Rurópolis,no crime da sindicalista Leila Ximedes; ele alega inocência.

Aprovação do governo Jaílson de Mojui dos Campos, é de 60%, aponta pesquisa da Destak



Pesquisa de avaliação do governo do prefeito Jailson Alves (PSDB), de Mojuí dos Campos, oeste do Pará, concluiu que, a pouco mais de 1 anos para final do seu mandato, 60% dos eleitores do município aprovam e 29% desaprovam.
O levantamento foi realizado pelo Blog do Jeso/Destak nesta semana. 400 pessoas foram entrevistadas, pessoalmente e em casa, nas zonas rural e urbana. A margem de erro é de 3,5%, para mais ou para menos. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.
Reeleito em 2016, o tucano está impedido por lei de participar da disputa eleitoral do próximo ano. Até agora só ele ocupou o cargo. Mojuí dos Campos assumiu a condição de município, desmembrado de Santarém, em janeiro de 2013.
O levantamento aferiu o potencial de apoio de Jailson em relação ao seu sucessor. 55% disseram que apoiariam um nome indicado pelo tucano para sucedê-lo em 2021. Não votariam chega a 27% e os que poderiam votar somam 13%.
Confira mais 3 informações colhidas na pesquisa
O governador Helder Barbalho (MDB) tem a melhor avaliação das 3 esferas federativas: excelente (7%), boa (46%) e regular positivo (20%). Bolsonaro ocupa a última colocação: excelente (10%), boa (32%) e regular positivo (14%).
O potencial de apoio de Helder e Jailson, para candidatos a prefeitos em 2020, está empatado tecnicamente – dentro da margem de erro. Eleitores que disseram que apoiariam candidatos apoiados por eles somam: Helder (58%) e Jailson (55%). Bolsonaro chega a 46%.
Dentre os entrevistados, 48% garantiram que as respostas que deram ao pesquisador são “definitivas”. Ou seja, não deverão mudar de opinião até o dia da eleição. 40% responderam que “ainda podem mudar” e 7% que “dificilmente mudará” de opinião.
Abaixo veja o nível de satisfação da população de Mojui dos Campos.

Blog do Xarope com informação do Blog do JesoFonte Blog do Jeso

Morre no HMS quarta vítima de acidente de caminhão com madeira que capotou na PA-370, em Santarém

Caminhão capotou na região do Corta Corda após não conseguir realizar curva em ladeira — Foto: Reprodução/Redes SociaisO acidente aconteceu na área do Projeto Agroextrativista Corta Corda na noite de sexta-feira (20).
Morreu neste domingo (22), em Santarém, oeste do Pará, a quarta vítima de um acidente com caminhão que transportava madeira em uma mega operação na região do Corta Corda.

Jovem morre em acidente envolvendo carro e moto na PA-431, em Mojuí do Campos

Jovem morre em acidente envolvendo carro e moto na PA-431, em Mojuí do Campos — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Erivaldo Santos Mendonça, 24 anos, estava na motocicleta e teria tentado realizar ultrapassagem arriscada.
Um jovem morreu em acidente que aconteceu, neste domingo (22), envolvendo um carro e uma motocicleta na PA-431, em Mojuí dos Campos, no oeste do Pará.
Segundo informações da Polícia, Erivaldo Santos Mendonça, 24 anos, estava na motocicleta e teria tentado realizar ultrapassagem arriscada, que o levou a colidir com um carro que vinha no outro sentido.
A vítima morreu ainda no local do acidente e segundo testemunhas ele teria consumido bebida alcoólica antes de conduzir a motocicleta.
Ainda segundo a Polícia, todas as providências como remoção do corpo, exame de local, exame toxicológico, exame cadavérico, instauração de inquérito e demais perícias foram tomadas.
Blog do Xarope Via G1 Santarém
Erivaldo Santos Mendonça, 24 anos, estava na motocicleta e teria tentado realizar ultrapassagem arriscada — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Garimpo ilegal está desmatando e contaminando rio em terra indígena no Pará, diz Greenpeace

Resultado de imagem para Garimpo ilegal está desmatando e contaminando rio em terra indígenaAcampamentos para o garimpo ilegal estão devastando grandes áreas de mata nativa na terra indígena Munduruku, no sudoeste do Pará, alerta neste sábado (21) o Greenpeace. Segundo a organização, as ações também contaminam o rio que cruza a região de Jacareacanga.
A organização ambiental divulgou um vídeo onde é possível ver enormes crateras de desmatamento em meio a floresta. Neles estão contidos acampamentos com escavadeiras trabalhando e revelando um garimpo. Há um ponto que dá para ver os rejeitos da mineração clandestina desaguando no rio. A coloração da água segue alterada por cinquenta quilômetros.

domingo, 22 de setembro de 2019

Ex-prefeito de Marabá João Salame abre o verbo numa longa entrevista, veja o que ele diz ao blogueiro


Resultado de imagem para joão salame
O ex-prefeito de Marabá, João Salame, concedeu longa entrevista ao blog durante sua última estada em Marabá.
Um longo bate-papo com o blogueiro se seguiu sem amarras, livre, abordando todo tipo de assunto.Perguntas sobre questões como o custo político da eleição a deputado federal de Beto Salame, o ex-prefeito não titubeou:.
Tida como desgastante, a relação atual com o governador Helder Barbalho, quase nenhuma, também foi alvo da conversa.
O ex-prefeito faz uma narrativa sincera sobre a sua prisão , em Brasília, revelando estar lutando para provar sua inocência às acusações.
Salame estendeu-se ainda a uma avaliação do atual momento administrativo de Marabá, conduzido por Tião Miranda.
As razões da decisão em optar por morar em Brasília são alinhavadas também pelo ex-prefeito e ex-deputado estadual. Salame não negou fogo a nenhuma pergunta.
Veja a entrevista completa de João Salame, a seguir:
Passados mais de dois anos de sua gestão, qual a avaliação que você faz do atual momento administrativo do município de Marabá?
Vejo com satisfação que tenha conseguido equilibrar as finanças do município e dar sequência a muitas obras que deixei encaminhadas ou com dinheiro em caixa. Deixei dinheiro para conclusão das creches, da urbanização da grota criminosa, do Palacete Augusto Dias, do Cine Teatro da folha 16 e quase 40 milhões de reais para pavimentação de ruas. O novo gestor teve sorte em ver a economia dar passos de recuperação nos dois anos do governo Temer, recebeu recursos do governo Jatene que a mim foram negados e viu o governo federal abrir a possibilidade de parcelar a dívida do município com a previdência. Também teve o apoio da Câmara Municipal para cortar benefícios salariais dos servidores. Os royalties explodiram e a arrecadação melhorou muito. Esse conjunto de fatos possibilitou organizar as finanças da prefeitura. Algo que eu já vinha fazendo.
Paguei cerca de 70 milhões de reais de dívidas da gestão anterior. Quando eu voltei daquele afastamento de 94 dias reassumi a prefeitura dia 8 de agosto de 2016. Tinha cinco meses de governo e sete folhas para pagar. Paguei seis folhas. Não foi minha culpa a folha de dezembro que ficou sem pagar. O governador Jatene liberou recursos para pavimentação. Liberou o convênio com o Detran que ficou pronto na minha gestão. Agora as ruas da cidade estão sendo pintadas e sinalizadas a partir desse convênio que deixei pronto e que o governador se negou a liberar para mim.
A situação que deixei a prefeitura não era tão grave, tanto que a nova gestão logo conseguiu regularizar. Uma situação muito melhor do que quando assumi. Portanto tenho que aplaudir as ações do prefeito em organizar as finanças da prefeitura e aplaudir o fato dele ter conseguido o apoio do governador. No entanto fico triste em ver que a periferia não está sendo priorizada, a zona rural reclamando, os servidores lamentando a falta de diálogo, a saúde com problemas agravados, o fim da escola de tempo integral e das eleições diretas para diretores de escola, a redução do número de linhas do transporte escolar e a falta de participação popular na gestão. Acho que foram marcas do nosso governo que foram deixadas de lado.
Grande parte do pacote de obras que o atual prefeito Tião Miranda está executando foi criado na sua gestão, algumas não foram executadas e outras inacabadas. Não acha que faltou uma presença mais constante sua na fiscalização do conjunto de projetos para que sua gestão tivesse sido beneficiada com a inauguração das obras?
Todo governo assume com obras deixadas pelo anterior. Ou seja, todos deixam obras inacabadas. Eu terminei escolas e creches deixadas pelo Maurino. Terminei o prédio da Merenda Escolar, uma obra que foi iniciada no governo do doutor Veloso, passou pelos governos do Tião e do Maurino. Eu concluí. Tem obras que são demoradas.
Pegue o exemplo da Grota Criminosa. Desde o governo do Haroldo Bezerra que se falava nela. Nenhum prefeito passou do discurso. Eu fiz. Terminei o projeto, liberei os recursos e deixei mais de 80% da obra pronta. A folha 23 era um bairro abandonado. Melhorou muito com a obra. Pena que não houve tempo pra concluir. Deixei dinheiro pro novo gestor fazer isso.
Veja as creches. Liberei 17 junto ao governo federal. É uma burocracia enorme pro dinheiro chegar. Inaugurei cinco. Na folha 6, Residencial Tocantins, Residencial Tiradentes, Vila Sororó e Laranjeiras. Todas climatizadas. Veja que o atual prefeito recebeu várias outras em andamento e em quase três anos só inaugurou duas. A do Km 07 e do Infraero, que já estavam bastante adiantadas. Parece que vai ficar pronta agora a do bairro Araguaia. Se for levar pela régua da sua pergunta o atual prefeito estaria ainda menos presente do que eu nesse quesito. Quantas salas de aula foram climatizadas depois que eu saí da prefeitura? Eu climatizei centenas.
Se formos pegar a quantidade de ruas pavimentadas por mim e pelo atual governo posso dizer a mesma coisa. Eu desafio, rua a rua, quem pavimentou mais ruas que eu. Mesmo não tendo cumprido a infeliz promessa de pavimentar 500 km de ruas, nós conseguimos pavimentar ou recuperar 182 km. Mais do que todos os outros prefeitos juntos. Fico triste de não ter executado o pacote de asfalto do dinheiro que consegui junto à Caixa Econômica. Infelizmente um empresário que não estava preparado ganhou a licitação e travou os serviços. São mais de 30 km de asfalto a mais que eu faria, principalmente nas folhas da Nova Marabá. Mas deixei o dinheiro e estou feliz que o atual prefeito tenha refeito a licitação e reiniciado os serviços.
No que se refere a reforma e reconstrução de unidades de saúde também. Reconstruí as UBS de Morada Nova, Laranjeiras, Independência, Folha 33 e deixei pronto o Laboratório Central de Exames nas Laranjeiras, os Caps ao lado da Casa da Cultura e o prédio da UPA concluído. Quem fez mais?
Na área do esporte, quem fez mais campos de futebol? Veja que tudo isso eu fiz depois de pagar 70 milhões de reais de dívidas, sendo perseguido pelo governador que não me liberou um centavo e enfrentando a mais grave crise econômica que o País atravessou, além de outras perseguições que são de conhecimento da sociedade. De toda sorte fico feliz que o atual prefeito esteja concluindo as obras que eu iniciei e não pude concluir.
Quando você assumiu a prefeitura de Marabá, em 2013, certamente tinha um projeto em sua cabeça para fazer as mudanças tanto faladas durante a campanha de 2012. Verdadeiramente, qual era seu maior sonho governando Marabá?
Queria fazer uma gestão democrática, melhorar as condições de estudo das nossas crianças, colocar todas em salas de aula, levar dignidade pras pessoas que moram na zona rural, melhorar os serviços de saúde e fazer de Marabá um centro político importante para influenciar as decisões do Estado. Creio que persegui esse sonho e realizei vários objetivos.
Fiz um governo que não perseguiu ninguém e dialogou com todos os setores da sociedade. Reformei, construí ou reconstruí 30 escolas e creches, mais do que qualquer prefeito. Reconstruí e equipei várias unidades de saúde. Quando assumi não tinha um aparelho de mamografia funcionando. Deixei dois funcionando e um na caixa para ser inaugurado. Manilhei e retirei centenas de pinguelas na zona rural, executando mais de 4 mil km de recuperação de estradas vicinais. Levei transporte escolar a todas as vilas. Nunca a Estrada do Rio Preto foi interditada no meu governo.
No plano político tive participação importante nas eleições para governador em 2014. Tanto que o atual governador, naquele ano teve 74% dos votos em Marabá, com o apoio do nosso grupo. Meu irmão foi eleito com excelente votação.
Atualmente, depois de ter passado por dissabores em sua carreira política, evitando, inclusive, disputar a reeleição, o que deu errado? 
As coisas caminhavam bem em 2014. Mas perdemos as eleições para o Governo do Estado. Veio a crise econômica de 2015, as perseguições aumentaram e por não adotar medidas amargas tivemos problemas de caixa que acabaram produzindo um afastamento injusto. 
Fiquei 94 dias afastado. As coisas pioraram. Quando fui afastado a folha estava em dia. Quando retornei tinha 1 mês de salários atrasados e nenhum centavo guardado para pagar o 13o. A empresa de lixo sem receber.
Como voltei no último dia das convenções partidárias e com todo esse quadro entendi que não deveria me candidatar. Talvez esse tenha sido meu maior erro. Mesmo se fosse para perder deveria ter sido candidato para defender tudo o que fiz de bom. Ao não ser candidato deixei que meus adversários dominassem a mídia e construíssem a imagem de que fui um prefeito ruim. Durante mais de 3 anos só levei porrada nos meios de comunicação e nas redes sociais.
Mas felizmente os ataques sórdidos não conseguem arrancar as centenas de quilômetros de asfalto, as creches, escolas, postos de saúde e tantas coisas boas que fizemos. Não conseguem roubar o carinho de centenas de pessoas que foram beneficiadas pelo meu governo e que me tratam bem toda vez que ando pelas ruas da cidade. Erramos, mas deixamos um legado positivo. Aos poucos as pessoas vão enxergando as coisas.
Alguns setores da política que não nutrem simpatia por você espalham que o maior adversário seu na prefeitura foi a eleição do seu irmão Beto Salame, deputado federal. Claro que aí há uma contradição porque todo prefeito que elege seus representantes, na AL ou na CM, ganha forte aliado para obtenção de recursos e outros benefícios políticos.
Dizem que você gastou recursos próprios da PMM para eleger o irmão, criando um buraco nos cofres públicos que inviabilizou sua gestão. O que tem a falar sobre esse tema?
É de uma injustiça e desonestidade sem tamanho culpar a eleição do Beto pelos problemas financeiros da prefeitura. Os maldosos dizem que gastei 10 milhões de reais para eleger o Beto. Mentira. Naquela época podíamos arrecadar das empresas e arrecadamos bastante. Creio que cerca de 3 milhões de reais. Tudo declarado. Tivemos 31 mil votos em Marabá. Eu desafio sempre que me apontem alguma liderança ou pessoa que diga que eu dei dinheiro ou comprei votos em Marabá pra votar no Beto. O governo estava bem. Muitas obras. Nosso grupo empolgado. Fora de Marabá tinha dezenas de deputados estaduais e prefeitos que eram meus amigos. Dispostos a nos ajudar. A pedir votos pro Beto. Foi por isso que ele ganhou.
E o Beto correspondeu. Arrumou mais de 50 milhões de reais para Marabá. Taí a obra do cais de arrimo sendo iniciada. Recurso que ele arrumou junto ao ministro Hélder Barbalho. Tratores, caçambas, caminhões de lixo, ambulâncias, dinheiro pra asfalto, pra universidade. Quem vai arrumar isso agora?
Ele arrumou mais de 300 milhões de reais para o Estado do Pará. Foi um deputado que trabalhou muito pela nossa gente.
Veja que depois de toda a campanha maldosa que fizeram contra mim e que se refletiu na queda de votação do Beto em Marabá, ainda assim ele teve 65 mil votos na última eleição. É o terceiro suplente de deputado federal.
Não é pouco voto. Ficou na frente de muito político com muito mais história. E eu já não estava mais na prefeitura. Eu lembro que tinha adversários nossos que diziam que ele não teria nem 15 mil votos. Na realidade em Marabá os grupos políticos se destroem. A inveja fala mais alto. Muitos não suportaram a ideia de ver alguém jovem, que nunca tinha sido candidato, se eleger deputado federal. Daí em diante urdiram toda sorte de maldades contra mim para derrubar o que estávamos construindo. O resultado está aí: Marabá está sem deputado federal.
A não recondução de seu irmão Beto Salame à Câmara Federal está mostrando o quanto a região precisa de um deputado que resida na área e conheça seus problemas. Você credita a não reeleição do Beto ao desgaste político de sua gestão na prefeitura?
Foi o sucesso da nossa gestão que possibilitou 31 mil votos ao Beto em 2014. O desgaste do final da gestão, o fato de eu não ter sido candidato pra me defender, três anos de mídia pesada contra mim, criaram um ambiente negativo. Em 2014 quase todo mundo se uniu em torno da eleição do Beto. Em 2018 não. Houve uma divisão significativa incentivada por quem -queria nos derrotar, mesmo às custas do prejuízo do município e da região. O Beto também cometeu os erros dele. É jovem. Trabalhou muito, mas pecou politicamente em algumas situações.
Em 2006 eu me elegi deputado estadual. Fiz um excelente mandato. Mas em 2010 o ex-prefeito Tião Miranda decidiu sair candidato a estadual e estava muito bem. Senti que ele teria uma grande votação. Então priorizei minha campanha em outros municípios. Diminuí minha votação em Marabá, mas aumentei minha votação no Estado e me reelegi. Já em 2012 ganhamos a disputa da prefeitura contra o mesmo Tião que tinha obtido uma votação recorde para deputado dois anos antes.
Eleição é momento. Acho que faltou essa leitura correta no caso da não reeleição do Beto em 2018. Mas que o prejuízo para Marabá e região é imenso disso não tenho a menor dúvida.
Algumas pessoas, maldosamente, inflamam disse-me-disse segundo qual você estaria residindo, hoje, em Brasília, para usufruir das vantagens financeiras que supostamente você teria obtido enquanto prefeito de Marabá. Não é hora de passar esses informes à limpo, esclarecendo de vez as razões de sua mudança para Brasília?
Eu talvez seja um caso único de prefeito que ao invés de sair da prefeitura com jornal, canal de rádio e televisão, fazenda e bois, como muitos fazem, tenha saído com minha empresa fechada. Tenho uma vida modesta, de classe média. Foi assim antes de eu entrar para política, quando era um pequeno empresário, foi assim quando tive mandatos e é assim hoje. 
O grosso do meu patrimônio adquiri antes de entrar para a política.
Mudei para Brasília porque tinha fechado minha empresa e precisava trabalhar. Fui convidado inicialmente para assumir um cargo no Ministério da Integração Nacional, pelo ministro Hélder Barbalho, em fevereiro de 2017. Não deu certo. Em agosto, o PP, partido do meu irmão, me convidou para assumir a diretoria do Departamento Nacional de Atenção Básica do Ministério da Saúde. Aceitei o convite porque dependo do meu trabalho para pagar as despesas de minha família. Tenho orgulho do trabalho que realizei. Ajudei milhares de municípios no País e inúmeros do Pará, inclusive Marabá. Foi um período muito feliz. Ganhava um bom salário e estava perto de minha família. Depois aconteceu o episódio da prisão. Perdi o emprego. Foram dias difíceis. Parecia que o mundo havia desmoronado.
Agradeço muito à minha esposa, filhos , minha família e alguns poucos amigos que foram solidários o tempo todo.
Grandes amigos meus de Goiânia, em especial o Martiniano Cavalcante e o senador Jorge Kajuru, ofereceram um trabalho no Senado para minha esposa. Ela faz faculdade em Brasília. Meu filho estuda em Brasília. Minha filha trabalha em Brasília. Por isso decidi estruturar minha vida em Brasília. Montei uma empresa de consultoria e hoje dou assessoria para deputados, senadores e prefeitos. É disso que eu vivo. Matando um leão todo dia, como se diz na gíria popular. Diminuí um pouco meu padrão de vida, mas vivo feliz com minha família. Vários amigos de Marabá já me visitaram aqui no apartamento onde moramos atualmente. Tive que alugar minha casa e o prédio do meu antigo jornal em Marabá, onde recebia as pessoas, para ter recursos para tocar nossas vidas. Mas estou sempre vindo a minha cidade, onde tenho família, amigos e o patrimônio que construí trabalhando honestamente e que foi adquirido antes de eu entrar para a política.
Por falar em prisão, quase um ano após o ocorrido, como você avalia esse episódio?
Não desejo a ninguém o que aconteceu. Me entristece pensar nisso, mas não guardo mágoas. Pessoas me provocam para arrancar declarações contra a justiça. Não posso duvidar da justiça. Se o juiz tomou a decisão foi munido de determinadas informações. Tenho que apresentar as minhas informações e provar minha inocência. Vou trabalhar para isso. 
Não me tornei um novo rico após sair da prefeitura de Marabá. Quem me conhece sabe que sempre fui um cara sério. Nunca me envolvi em bandalheira. Fico satisfeito, do ponto de vista jurídico, que o parecer do Ministério Público Federal em Marabá foi contra a prisão preventiva. Que o MPF em Brasília opinou pela minha soltura sem sequer exigir a retenção do meu passaporte, prisão domiciliar ou tornozeleira eletrônica. Que o Tribunal Regional Federal, por 3 votos a 0, decidiu pela minha liberdade. Estou cumprindo todas as determinações da Justiça e espero agora reunir as provas da minha inocência no processo que vai se iniciar na primeira instância.
Você foi um dos maiores defensores da candidatura do governador Hélder Barbalho. Em 2014 era considerado mais emedebista que os prefeitos do MDB. 
O que aconteceu que você não foi chamado para participar do atual governo? Você tem mágoas do governador por causa disso?
Eu apoiei o governador Hélder em 2014 e 2018 porque entendia que era a melhor opção para mudar os rumos administrativos e políticos do Estado. Entre outras coisas um governador não pode punir o povo de um município só porque não gosta do prefeito. E o governador Jatene fez isso com o povo de Marabá. Não me arrependo. Quanto à minha participação o governador não é obrigado a me dar cargo ou emprego. Desde adolescente eu sempre apoiei candidatos por acreditar, não por causa de cargos. Tanto que depois da eleição eu não procurei o governador para tratar disso. Se ele não me chamou é porque deve avaliar que não é o momento ou enxergou pessoas mais competentes e comprometidas com o seu projeto do que eu, ou, mais simples, que não mereço. Tenho que respeitar sua avaliação. Vou batalhar, como estou batalhando, para organizar minha vida. E desejar que ele faça um bom governo porque quem ganha é o povo do Pará.
Embora já tenha deixado bem claro às pessoas mais próximas a você, dando conta de que não pensa tão cedo em disputar algum cargo público, não tenho como deixar de perguntar: qual a sua projeção política pessoal para as próximas eleições, estará disputando algum cargo público?
Preciso organizar minha defesa jurídica e minha vida financeira. Passei quase um ano desempregado. 
Agora que a empresa que montei recentemente conseguiu seus primeiros clientes. Estou otimista, mas tenho que trabalhar muito para recuperar o fôlego. Vou me concentrar também em fazer a defesa do meu governo. Reconhecer os erros, mas lembrar dos acertos. Quero um julgamento justo da opinião pública. Até para que eu possa corrigir meus erros. Mas continuarei a fazer política, porque considero que a política é o instrumento para melhorar a sociedade. Continuo acreditando que um mundo melhor é possível. Que precisamos superar os ódios, as desigualdades, os preconceitos. 
Quero um mundo melhor para meus filhos. Muito diferente desse que vivemos, onde a intolerância dominou as redes sociais. Por isso vou continuar a fazer política, ainda que não seja candidato a nada o ano que vem em Marabá.

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Pesquisa para prefeito de Mojui dos Campos começa nesta quinta-feira; 480 pessoas serão entrevistadas

Resultado de imagem para município de mojui dos campos
Mojuí dos Campos é uma cidade de Estado do Pará.O município se estende por 4 988,2 km² e contava com 15 341 habitantes no último censo
As coletas serão realizadas por 7 pesquisadores da Destak Pesquisa e Publicidade em toda extensão da sede e da zona rural do município. 

Inicia nesta quinta-feira (19) a fase de coleta de informações em campo da pesquisa de intenção de votos para prefeito de Mojuí dos Campos (PA). O levantamento é iniciativa do Blog do Jeso/Destak.
480 pessoas, maiores de 18 anos, serão entrevistadas por uma equipe de 7 pesquisadores – nas áreas urbana (38% dos eleitores) e rural (62%) do município.
Há perguntas com respostas espontâneas e estimuladas. Também serão avaliados os governos municipal (Jailson Costa, do PSDB), estadual (Helder Barbalho, MDB) e federal (Jair Bolsonaro, PSL).
Na pesquisa estimulada para prefeito, em que o entrevistado escolhe um candidato ao cargo, há 6 nomes listados. Serão simulados com esses nomes vários cenários.
O resultado da pesquisa será divulgado em primeira mão no Blog do Jeso, ainda nesta semana.

Assembleia Legislativa aprova empréstimo de R$ 600 milhões para obras no Pará

Resultado de imagem para Assembleia Legislativa do paráOs três projetos de lei que autorizam o Poder Executivo a efetuar a contratação de operações de créditos no valor de R$ 626 milhões, foram aprovados em redação final, por unanimidade, entre os deputados presentes à Sessão Ordinária nesta terça – feira (17), na Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa).
As proposições tratam sobre a contratação de empréstimos financeiros para garantir a execução de Programas de Investimento nas áreas de Saúde, Desenvolvimento Urbano, Saneamento e Mobilidade, Infraestrutura e Logística e Turismo; aplicação em projetos de implantação de sistemas de drenagem e pavimentação urbana em vários municípios do Pará, além de melhorias na malha rodoviária do Estado.

Juiz anula ato e manda restituir erário em ação de deputado do MDB; Jatene chama de cisão de "equivoco" e anuncia recurso

Resultado de imagem para deputado chicão do MDB e simão jatene
O ex-governador Simão Jatene e Izabela Jatene
O juiz da 5ª Vara de Fazenda Pública de Belém, Raimundo Santana, declarou nulo o ato de nomeação de Izabela Jatene de Souza para exercer cargo de secretária Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais, durante o governo do pai, Simão Jatene. E condenou pai e filha a “restituírem ao erário o valor, corrigido, correspondente aos vencimentos que a ré recebeu durante o período em que ocupou o referido cargo, excluídas as verbas de natureza indenizatória, como ajudas de custo e diárias”.
Em nota (veja abaixo), Izabela e Simão anunciaram que irão recorrer da decisão. A sentença de Santana decorre de uma ação popular impetrada em junho de 2015 pelo deputado Francisco Filho, o “Chicão”, que é hoje líder do governo de Helder Barbalho na Assembleia Legislativa. A decisão é do dia 11 passado, mas só foi divulgada hoje. Ontem, durante julgamento no Tribunal de Contas do Estado (TCE), o ex-governador teve suas contas referentes ao exercício de 2018 aprovadas por todos os conselheiros.
Diz o magistrado em um trecho da decisão: “diante desse panorama fático-jurídico, sobejou comprovada – e de maneira evidentíssima – a tese do autor popular, no sentido de que a criação da Secretária Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais desbordou inteiramente da ordem jurídico-administrativa constitucional, contida no artigo 37 da Carta Federal.

Essa circunstância foi gravemente realçada pelo fato de a criação irregular do órgão ter resultado na nomeação da própria filha do então governador para ocupar o cargo de secretaria. Ou seja, uma ilegalidade foi sucedida por um flagrante atentado à moralidade administrativa. Depreende-se do comando constitucional que a Administração Pública, em quaisquer de suas órbitas, obedecerá aos Princípios de Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência (art. 37 da CF/88).

No caso presente, é possível concluir, sem maior esforço hermenêutico, que o então Governador do Pará destoou de qualquer ideia jurídica acerca da Legalidade, da Impessoalidade, da Moralidade Administrativa e da Eficiência. Afinal, ao analisar o ato que foi combatido pelo autor é possível assegurar que o réu infringiu ao menos os seguintes preceitos:

1) Descumpriu o roteiro normativo previsto no inciso IX, do art. 91 da Constituição Estadual, pois não submeteu ao Parlamento Estadual o ato de criação da Secretária Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais, embora, apenas três meses antes, tivesse submetido ao mesmo parlamento o ato de criação e de extinção de diversos órgãos/cargos no âmbito da Administração Pública Estadual;

2) Afrontou qualquer percepção (até mesmo a mais distraída e/ou superficial) sobre a Impessoalidade e a Moralidade Administrativa, tanto como conceitos quanto como valores jurídicos. É que, não apenas criou de forma manifestamente irregular uma secretaria extraordinária. Além disso, ou melhor, não bastasse isso, sem aparentar qualquer trauma de consciência, nomeou a sua filha para ocupar o cargo de secretaria;

3) O órgão criado pelo réu, a Secretária Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais, o foi sem que lhe fosse atribuída qualquer função específica.

Aliás, nem mesmo funções inespecíficas foram atribuídas àquela secretaria, já que, concretamente, nenhum documento oficial (lei, decreto etc.) foi aditado aos autos para esclarecer quais as funções/atribuições da secretaria. Vale rememorar que o art. 1º da Lei Estadual nº 6.378/2001 permite ao Governador do Estado criar até três secretarias extraordinárias. Segundo a literalidade do texto legal,a criação dessas secretarias terá por finalidade o desempenho de encargos temporários de natureza relevante. No entanto, se até hoje são desconhecidas as atribuições da secretária Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais, vale aqui questionar: afinal, qual o encargo temporário e de natureza relevante que justificou a criação desse órgão?

À pergunta antecedente, a única resposta possível (a partir do que consta dos autos) é nenhum; nenhum encargo de feição temporária e/ou relevante foi apresentado pelos réus como elemento de motivação para a criação da Secretaria Extraordinária de Estado de Integração de Políticas Sociais”.

E mais: “convém dizer que a presente interpretação não significa adentrar na esfera de atuação do Poder Executivo, promovendo interferência indevida. Sucede que, em uma sociedade instituída a partir de valores republicanos, todo e qualquer poder tem os seus limites. Não por outra razão o poder discricionário que é conferido ao Administrador Público sofre limitações. Do contrário, qualquer um que estivesse no exercício do poder poderia dele se valer para promover o arbítrio.

Ademais, ao lado da irregularidade de origem, aflorou flagrantemente o nepotismo praticado pelo então Governador do Estado, o qual não se intimidou e nomeou a sua filha para ocupar um cargo público, cuja atribuição era absolutamente inespecífica. Importa consignar que, no interior da Administração Pública, um Secretário de Estado é – guardadas as devidas proporções – equivalente ao Ministro de Estado no âmbito federal. Portanto, esse cargo possui status jurídico que vai muito além daquele que é ostentado pelos demais servidores públicos que estejam sob o comando do secretário.

Em resumo, um secretário de estado não é um simples assessor. E tanto não o é, que são maiores tanto a sua remuneração quanto a sua responsabilidade funcional. Ao adotar a via interpretativa exposta, sobejou comprovado, às escâncaras, que o ato do Governador do Estado do Pará desbordou (e muito) da mais tênue versão da moralidade administrativa. E assim o fez, tanto por usurpar o poder parlamentar, subtraindo-lhe a possibilidade de questionar a criação da secretaria, quanto por se valer de um ato manifestamente irregular para favorecer a própria filha. Esta, por sua vez, até por sua formação acadêmica/profissional, agiu tendo plena consciência do favorecimento que recebeu”.

Nota chama decisão de “equivocada” e diz STF rejeitou ação do MDB

Em nota enviada ao Ver-o-Fato, Izabela Jatene e Simão Jatene prestam os seguintes esclarecimentos a respeito da decisão do juiz Raimundo Santana:

“1. A sentença do juiz Raimundo Santana está equivocada e será objeto de recurso, considerando que todos os atos foram realizados dentro da legalidade e com o respaldo jurídico e acompanhamento da Procuradoria do Estado do Pará;

2. Em que pese o estranho entendimento diverso do magistrado, as Secretarias Extraordinárias foram sim criadas por autorização legislativa, através da Lei nº 6.378/2001, que expressamente previu em sua ementa que a referida norma “Dispõe sobre a criação de cargos de Secretário Extraordinário de Estado”, sendo posteriormente acrescido na estrutura administrativa do Estado mais um cargo da mesma natureza criado pela Lei nº 8.096/2015 (art. 3º, inciso X);

3. Sobre a nomeação de Izabela Jatene de Souza para o cargo de Secretaria Extraordinária de Integração de Políticas Sociais, o próprio juiz, em sua controversa decisão, reconhece os atributos e qualidades profissionais de Izabela como sendo “mais que suficientes para que exercesse o cargo para o qual foi nomeada, ainda que não fosse o seu pai a autoridade que a nomeou”;

4. Izabela Jatene é socióloga, servidora pública federal, professora concursada da UFPA, especialista em gestão de projetos sociais pela FGV-RJ, possui mestrado em antropologia pela UFPA e doutorado em ciências sociais pela PUC-RJ, além de ter atuado em sua área junto a diversos organismos nacionais e internacionais, como UNICEF, COPLAD, entre outros;

5. Ressalte-se que ação similar de cunho eminentemente político-eleitoreiro foi proposta também pelo MDB perante o STF (Reclamação nº 26.969/PA), tendo sido negado o seu seguimento pelo Ministro Dias Toffoli, em 16/05/2017, que, embora sem entrar no mérito da demanda, ratificou a posição daquela Corte Superior acerca da inexistência de nepotismo nas hipóteses do caso em análise;

6. Por fim, ainda em 2016, o Ministério Público Estadual se manifestou sobre o caso, através do Promotor de Justiça Silvio Brabo, que, em seu parecer juntado aos autos, se manifestou pela “improcedência da ação por ausência de lesividade no ato impugnado”, ressaltando que a nomeação de Izabela Jatene de Souza “não traz nenhum prejuízo ao patrimônio público capaz de legitimar a intervenção do Judiciário por intermédio de uma ação popular”;

7. Por tudo, é difícil não estranhar que, decorridos mais de 8 meses do término do governo passado e mais de quatro anos e meio após despropositada ação popular, proposta pelo deputado do MDB Francisco das Chagas Melo Filho, o Chicão, líder do atual Governo na Alepa; seja a sentença tornada pública, no mesmo momento em que o Tribunal de Contas do Estado julgou e aprovou as contas do governo Simão Jatene, exercício de 2018”.